Escolha uma Página

Três dicas para quem ministra libertação.

por | 28-jul-2018

O trabalho dos que ministram libertação é maravilhoso, temos a oportunidade de ver o antes que muitas vezes é sombrio e triste e o depois que é a vida cheia de Paz com Deus.

Ao longo de muitos anos ministrando libertação pude perceber existem fatores que precisamos considerar durante o processo de libertação e, por isso quero compartilhar 3 dicas com você que assim com eu ama ministrar libertação.

Primeira: “Nunca desconsidere no processo de libertação o fator psicológico”. A maioria das dificuldades de quem ministra libertação provém do fato de que o ministrador não levar em conta a verdade de que a maioria das pessoas opressas tem um certo nível de consciência que também precisa ser trabalhado no momento em que está acontecendo à ministração.

Segunda: “Entenda a importância da leitura dos sinais”. Demônios sempre deixarão pistas de quem são e de que estão fazendo na vida da pessoa que está sendo ministrada. Fazendo a leitura correta você não terá que ficar batendo papo com demônios.

Terceira: “A postura de quem está ministrando é de fundamental importância”. A incerteza que alguns conceitos que circulam dentro da igreja evangélica brasileira pode trazer medo na vida do ministrante na hora da ministração. Creia na verdade absoluta da palavra de Deus, e é ela que diz que o Senhor te deu autoridade para expulsar demônios.

São dicas simples mas que podem ajudar a você que trabalha com libertação ou para você que está sentindo o chamado de Deus para este ministério.

Quer saber mais sobre o assunto? Recentemente escrevi um livro chamado O que você sabe sobre Libertação? Nesse livro compartilho minhas experiências ao longo de muitos anos ministrando libertação e várias partes do mundo. Adquira o seu abençoe o meu ministério e seja abençoado.

Com Amor,

Pr. Getulio de Jesus.

1 Comentário

  1. Cristiano Mascarenhas da Silva Mascarenhas

    Ótimo estudo sobre como ministrar libertação, passos que podemos usar e ser bem sucedidos na batalha espiritual.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *